Tao Renascimento

O que podemos encontrar.
A Paz interior.
Como é este estado?
Este estado não pode ser expressado por imagens, e nem mesmo tem
nome.
É apenas um estado.
Por isto também não há como traduzir isto em palavras.
É alcançado pela conexão espiritual do praticante.
Explicar o que é este estado através das palavras e das percepções é
muito difícil.
Porque o que se fala não é como o outro percebe, e ouve.
Este tem sido a milênios o maior impedimento para a transmissão do
conhecimento.

O que se busca então experimentar, é um estado de energia interior
que nos possibilitará a conexão espiritual.
Este estado de energia, é um estado de luz, porque energia é luz e
calor.
Temos então que entender como este estado de luz se manifesta, e como esta luz se movimenta através de nós.
Ele surge no interior absoluto, e é então o estado de energia verdadeira.

Apesar da energia estar em todo lugar não conseguimos vê-la.
Captar esta energia através da respiração, que os pulmões transformam
em luz, que é a energia pura.
Trabalhar esta energia internamente fazendo a luz resultante circular
em todos os nossos corpos torna possível atingir o estado de
conhecimento de si mesmo, levando consequentemente a um estado de
paz interior.
O estabelecimento deste estado se faz logo, por conexão espiritual,
que consequentemente desfaz as desarmonias internas, levando o praticante a desfazer as desarmonias externas, pelo processo do perdão e da reconciliação. Trazendo a possibilidade de uma existência mais
saudável, vivida com mais alegria e harmonia, podendo por conseguinte,
prolongar-se no corpo físico.

Isto funciona porque a energia vai circular sempre no sentido regressivo. Isto é, vai trazer o passado ao presente com a intenção e possibilidade de dissolvê-lo, liberando assim, o futuro para uma existência plena.

Este é o objetivo de todo o trabalho que vamos empreender através
da respiração.
Quando este objetivo se concretizar, teremos toda a luz concentrada
então no terceiro olho, onde está de fato nossa conexão intuitiva, ou
seja, com o Espírito Santo.
Ou os níveis espirituais de nossa consciência.
Assim, nossa consciência é trazida toda para este foco.
O momento do nascimento reproduz o momento da separação.
A separação de fato, inicia no momento da concepção.

Neste momento o espírito é separado da pessoa, ou seja da
personalidade humana.
As contínuas separações que vão ocorrer, intensificam esta percepção,
fazendo com que a pessoa esqueça de sua própria essência.
Assim, separamos de nós mesmos no ato da concepção para gerar uma
nova pessoa, separamos de nossa mãe no nascimento, separamos do leite materno, juntamos amiguinhos, e nos separamos deles.
Nos separamos mais uma vez de nossos pais ao irmos para a escola.
Seguimos separando-nos de nossos colegas de escola. A separação de
nossos pais vai aumentando a medida que crescemos em corpo físico.
Aí, iniciamos um processo de ir e separar de nossos primeiros
relacionamentos sexuais.
Casamos. Reproduzimos o processo quando temos filhos.
Depois nos separamos de nosso casamento.
Separamos de nossos filhos.
Separamos de nossos amigos, de nossos avós, e pais, que morrem, e finalmente de nossos amigos e filhos, quando morremos.
O que realmente nos separa é o espírito da matéria.

Deixamos então, de fato, de reconhecer nossa própria essência.
No entanto, o espírito, cuja conexão acontece quando nossa energia
se concentrar na região do terceiro olho, após termos trabalhado
intensamente para ativar esta conexão, nos revelará que o espírito
guarda nossa essência, e que outra vez a obteremos. Então recuperamos a harmonia, a paz interior e exterior, e a unidade espiritual.


Alcançar este estado seria o equivalente a dizermos que alcançamos o nada absoluto.
No entanto para isto, muito é preciso se fazer.
O nada absoluto é o estado onde o todo esta contido.
Calcula-se cerca de dois a dez anos de trabalho contínuo neste sentido, sem que no entanto a pessoa se afaste de suas atividades diárias.
A separação no entanto entre espirito e pessoa, acontece no nível da
mente.
Na parte da mente onde se forma o ego, nos aliamos a personalidade, ou
pessoa física.

A separação que acontece neste nível, separa o céu da terra.
Na terra ficam os interesses materiais, e as emoções que não são o amor. Estabelece o erro e o medo.
O medo vai gerar sentimentos de culpa, ansiedade, angústia, e outros.
Para tentar manter a separação o ego então tenta iludir a mente,
tentando usurpar o poder espiritual para si, o que é uma
impossibilidade, mas você pode acreditar nisto.
O que acontece quando entramos neste estado de harmonia entre o corpo, mente e espírito, e este estado só pode nos acontecer se acontecer esta tripla harmonia, que se faz entre mente, corpo e espírito, e nos trazer a lembrança de nossa conexão e consciência espiritual.
Neste estado então vamos nos reencontrar com nosso estado de essência original, com nossa natureza real, que é o estado Crístico de amor universal.
A medida que for acontecendo a perfeição, nesta fusão energética da
mente com matéria, vai nos fazer cada vez mais perceber em nós mesmos e nos outros, a essência pura, que é a perfeição.
Assim, deixaremos de perceber os erros e defeitos dos outros, para
percebermos somente a perfeição.
O outro passará a ser assim, o espelho, que reflete nossa perfeição,
que vai assim aos poucos se consolidando. Na mesma proporção que vai acontecendo a fusão da luz espiritual em nossa mente, que estende esta luz ao corpo.

Jorge Luiz Brandt




 
Florianópolis - SC
 
Fone: (48) 3224-6111
©  2004 - Renascimento